sexta-feira, dezembro 01, 2006

1º de Dezembro de 1640




A Revolução

Ao bater das nove horas abrem-se as portinholas dos coches, saltam os fidalgos o sobem de corrida as escadas do paço. Investem pela sala da guarda, apanhando os soldados de surpresa. Um deles, assomando-se à varanda do palácio gritou: «Liberdade! Liberdade!
Viva el-rei D. João IV! O duque de Bragança é o nosso legítimo rei!»
Chegaram finalmente os conspiradores à porta dos aposentos de Miguel de Vasconcelos. Vendo que a porta não se abria, começaram a despedaçá-la com machados. Miguel de Vasconcelos, sentindo a morte próxima, escondeu-se dentro de um armário. Descoberto, uns desfecharam contra ele as pistolas, outros atravessaram-no com as espadas. Uns criados, mal o viram cair no chão, arremessaram-no por uma janela.

Rebelo da Silva, História de Portugal nos séculos XVII e XVIII (adaptado)

A Banda Municipal de Santa Cruz, (Fundada em 08 de Dezembro de 1887), tem por tradição festejar o Dia da Restauração - em parceria com o Município, Junta de Freguesia e Casa do Povo.
Saindo da sua sede pelas 6h da manhã, percorre as ruas da Cidade tocando o Hino da Restauração (havendo um simulacro da tomada do paço na Câmara Municipal) e termina com um convívio com toda a população que tomou parte neste evento.

HINO DA RESTAURAÇÃO


Portugueses celebremos
O dia da redenção
Em que valentes guerreiros
Nos deram livre a Nação

A fé dos Campos de Ourique
Coragem e valor
Aos famosos de 40
Que lutaram com ardor

Prá frente
Prá frente
Repetir saberemos
As proezas portuguesas

Avante, avante
É a voz que soará triunfal

Vá avante mocidade
De Potrugal - bis