domingo, junho 21, 2009

Fanal








Os troncos das árvores

Os troncos das árvores doem-me como se fossem os meus ombros
Doem-me as ondas do mar como gargantas de cristal
Dói-me o luar como um pano branco que se rasga.



Sophia de Mello Breyner Andresen